sábado, janeiro 20Saúde. Gestão e Consultoria

Tag: metódo contraceptivo

DIU e SIU

DIU e SIU

Curiosidades, Saúde
Dispositivo intrauterino (DIU) e Sistema intrauterino (SIU – também conhecido como DIU medicado ou DIU Hormonal) são,  como o nome já diz, sistemas ou dispositivos que devem ser inseridos por médicos, dentro do útero. A grande vantagem destes métodos é a comodidade posológica e a alta eficácia, que pode proteger a mulher durante 5 a 10 anos, dependendo do produto. Qual a diferença entre os dois? Ambos impedem a penetração e passagem dos espermatozoides, não permitindo seu encontro com o óvulo. A grande diferença é que o DIU é feito de cobre, um metal, e não possui nenhum tipo de hormônio, enquanto o SIU libera um hormônio dentro do útero. Além do efeito contraceptivo, o hormônio pode apresentar outros efeitos, como reduzir o fluxo menstrual. Eles causam aborto? Não. Como já c
Na drogaria: Tipos de Terapêuticas Anticoncepcionais – Parte II

Na drogaria: Tipos de Terapêuticas Anticoncepcionais – Parte II

Informações Técnicas
Progresso dos Métodos Anticoncepcionais: Implantes subcutâneos (+ ou - cinco anos): Levonorgestrel Injetáveis: medroxiprogesterona Pílula do dia seguinte: até 12hrs pós-coito Pílula Ultraligth (15mcg de etinilestradiol e 60mcg de gestodene/sem progesterona) Adesivos transdérmicos de liberação cutânea lenta: Evra Anel vaginal com Etonogestrel e Etinilestradiol   Evolução das Pílulas Anticoncepcionais: Primeira geração: alta dose - pílulas com até 150mcg de estrogênio Segunda geração: baixa dose e baixíssima dose - as píluas atingiram 50mcg de estrógeno Terceira geração: o mínimo e o essencial - as píluas atingiram 20mcg de estrógeno e 75mcg de progesterona Quarta geração: ultrabaixa dose - as pílulas contém 15mcg de estrógeno e 60mcg
Na drogaria: aplicação de anticoncepcionais

Na drogaria: aplicação de anticoncepcionais

Informações Técnicas
Com certeza você já deve ter ouvido alguma (ou várias) mulheres dizerem que engravidaram mesmo tomando anticoncepcional. Por detrás disso, podemos ter as seguintes situações: - Esquecimento (por parte da paciente) - Aplicação por técnica incorreta. Correta = aplicação Trilha em Z - Interação medicamentosa - Problemas no lote do fabricante E no caso dos anticoncepcionais injetáveis? Além das situações citadas anteriormente, podemos ter também o erro da Farmácia, do profissional que aplicou. Como assim? Em primeiro lugar, para a aplicação de um medicamento injetável (seja ele qual for), é necessária a apresentação da receita médica, prática esta que muitos estabelecimentos não cumprem. Em segundo lugar, o erro mais frequente é: aplicar na data errada! Já vi muitos
Na drogaria: como orientar o uso da pílula do dia seguinte?

Na drogaria: como orientar o uso da pílula do dia seguinte?

Informações Técnicas
A pílula do dia seguinte, ou contraceptivo de emergência, é comercializada no Brasil sem apresentação de receita médica para sua compra, porém em sua tarja vermelha vem as instruções "Venda sob prescrição médica". Seu uso não impede a contaminação pelo vírus da AIDS ou mesmo de uma DST, mas impede em até 50% a taxa de uma gravidez indesejada e evita inúmeros abortamentos. Seu uso deve ser restrito a situações de risco: esquecimento da ingestão da pílula anticoncepcional por mais de 2-3 dias, rompimento da camisinha no momento do coito e também nos casos de estupro. Não é recomendado seu uso no intervalo menor de 30 dias pois ela perde sua eficácia aumentando as chances de gravidez. Além disso, graças a sua alta dose hormonal, ela pode levar a reações adversas acentuadas como: ná