sexta-feira, dezembro 15Saúde. Gestão e Consultoria

Você conhece o colágeno tipo II?

Você conhece o colágeno tipo II?
Classifique

Colágeno tipo II, entenda o que é e para que serve.

Colágeno tipo II
Colágeno tipo II

Você já deve ter ouvido falar muito sobre colágeno, principalmente as mulheres.

O colágeno é a proteína mais abundante do nosso tecido conjuntivo. Ela representa cerca de 30% de todas as proteínas desse tecido.

A palavra colágeno está relacionada a firmeza e elasticidade da pele, mas poucos conhecem os diversos tipos de colágeno que temos em nosso corpo, o quanto são importantes e quão benéficos são para nossa saúde.

Todos os tipos de colágeno:

Colágeno I: é o mais abundante constitui a pele, ossos, dentes e tendões. São fibras grossas, e mais resistentes.

Colágeno II: está presente nas cartilagens. É uma espécie de mola das articulações, como no joelho, permite o suporte do peso corporal.

Colágeno III: forma as fibras das artérias, músculo dos intestinos e do útero e está presente em órgãos como o fígado, o baço e os rins. São fibras mais elásticas.

Colágeno IV: é formado por moléculas de colágeno que se prendem pelas extremidades, formando uma rede. Está presente em membranas que separam tecidos, e também nos rins, na constituição dos filtros glomerulares.

No Brasil, o aumento da população idosa cresce cada vez mais e com este crescimento, também vem os problemas de articulação. Não somente os idosos, mas também para os praticantes de atividades físicas intensas, torna-se obrigatório a reposição do colágeno tipo II.

Mas, o que é este colágeno tipo II?

A cartilagem é fundamental para absorver parte do impacto direto dos movimentos sobre e entre os ossos. O colágeno tipo II não desnaturado é a principal proteína estrutural na cartilagem e é responsável pela sua resistência à tração e firmeza.

Estudos mostraram que, ao ingerir apenas uma dose diária de 40mg de Colágeno tipo II, o sistema imunológico é estimulado a manter as articulações saudáveis.

Este tipo de colágeno barra o processo inflamatório pela prevenção da quebra da cartilagem da articulação e ajuda o corpo a reconstituir o tecido danificado. “Por isso, é indicado para prevenção de artrose e osteoartrose, artrite e osteoartrite, artrite reumatoide, poliartrite reumatoide juvenil e lesão articular e de cartilagem.

A reposição do colágeno tipo II perdido, previne o processo inflamatório das articulações através do bloqueio da quebra do colágeno das cartilagens.

O colágeno tipo II não desnaturado presente tem conformação molecular especial (tripla hélice), que envolve regiões antigenas onde estão presentes alguns epítopos. Esses epítopos ativos estão envolvidos com o sistema de defesa do organismo, na medida em que desativam as células T específicas para o colágeno, e dessa forma previnem a secreção de enzimas do tipo colagenase, que são responsáveis pela quebra do colágeno.

O bloqueio da quebra do colágeno endógeno diminui o ciclo destrutivo das cartilagens e consequentemente evita a inflamação e a dor.

Mecanismo de ação do Colágeno tipo II.

1. Desativa a resposta imune contra o colágeno tipo II.

Na osteoartrite, o organismo passa a não “reconhecer” o colágeno (proteína) presente nas articulações. O sistema imune ataca o colágeno e o destrói.

2. Torna o organismo tolerante ao colágeno tipo II presente nas cartilagens.

Ingerido oralmente, ao passar pelo sistema digestivo, é reconhecido pelo organismo e isso dessensibiliza o sistema imune, causando uma tolerância oral.

3. A tolerância oral do colágeno tipo II suprime fortemente a inflamação da articulação.

O colágeno tipo II está indicado nas seguintes situações:

– Artrose

– Osteartrose

– Artrite

– Osteartrite

– Lesão articular

– Lesão da cartilagem

– Manutenção da saúde das cartilagens

Gostou do post? Escreva-nos! E compartilhe com seus amigos!!

Artigos relacionados

The following two tabs change content below.
Farmacêutica generalista, Pós Graduada em Cosmetologia Clínica pelo Instituto IPUPO e Pós Graduada em Farmacologia Clínica pela UCDB. Trabalhou durante 7 anos em farmácias (drogaria e manipulação) de onde carrega larga experiência no atendimento à clientes, dispensação de medicamentos, atenção farmacêutica e treinamento de colaboradores. Também lecionou durante 7 anos em cursos técnicos na área de saúde além de coordenação. Atualmente é coordenadora da Comissão Técnica no CRF/Piracicaba e Farmacêutica Clínica - Hospitalar no Hospital dos Fornecedores de Cana/Piracicaba.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.