sexta-feira, dezembro 15Saúde. Gestão e Consultoria

Por que o nome Febre Amarela?

Por que o nome Febre Amarela?
Classifique

Como se proteger

De acordo com o ministério, a única forma de evitar a febre amarela é através da vacinação. Ela está disponível gratuitamente durante todo o ano na rede SUS (Sistema Único de Saúde). “Infectologistas não veem febre amarela em pessoas vacinadas”, diz Granato.

O Ministério recomenda a vacina para pessoas a partir de nove meses de idade que vivem nas áreas endêmicas ou viajarão para lá e a partir dos seis meses, em situações de surto.

“O risco de tomar vacina pode ser maior que o de ser picado pelo mosquito”, diz Granato (veja abaixo as contraindicações da vacina). Vale lembrar que quem já teve a doença fica protegido pelo resto da vida. A vacina é oferecida em postos de saúde, aeroportos e centros de imunobiológicos especiais.

É preciso tomar quantas doses da vacina?

Até 2014, acreditava-se que era preciso tomar a vacina a cada dez anos. Contudo, a OMS (Organização Mundial da Saúde) passou a considerar que após os cinco anos de idade, uma única dose é suficiente para garantir a imunização contra a doença.

No entanto, o Ministério da Saúde mantém, como medida adicional de proteção, o esquema de duas doses da vacina febre amarela no calendário nacional, sendo uma dose aos noves meses de idade e um reforço aos quatro anos.

Quem deve ser vacinado agora?

Nas cidades que vivem surto de febre amarela, a vacinação imediata é dada preferencialmente a pessoas que vivem em áreas rurais com casos suspeitos e a pessoas que nunca se imunizaram contra a doença. Segundo o Ministério da Saúde , todos os Estados estão abastecidos com a vacina e o país tem estoque suficiente para atender toda a população nas situações recomendadas.

A vacina é recomendada para moradores de toda a região Norte e Centro-Oeste, parte do Nordeste (Maranhão, sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia), do Sudeste (Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo) e do Sul (oeste do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

Para o restante do país, o órgão afirma que continuam valendo as orientações de praxe: quem reside em áreas onde a vacina é recomendada e pessoas que vão viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata dentro dessas áreas, devem se imunizar. A vacina deve ser tomada 10 dias antes da viagem para região de risco.

Artigos relacionados

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.