sexta-feira, dezembro 15Saúde. Gestão e Consultoria

Category: Informações Técnicas

 

 

Informações técnicas da área farmacêutica, informações uteis para o dia-a-dia como dispensação de medicamentos, leis, fiscalização, orientações sobre uso de medicamentos, cuidados com pacientes, atenção farmacêutica, etc.

 

 

Na drogaria: você conhece os testes exigidos para registro de um genérico?

Na drogaria: você conhece os testes exigidos para registro de um genérico?

Informações Técnicas
Após a reportagem especial do Fantástico abordando os medicamentos genéricos no Brasil e sua eficácia quando comparada aos medicamentos de referência, muitas questões foram levantadas e muitas dúvidas surgiram para médicos, pacientes e usuários em geral. Entenda os testes exigidos. Mas, quais são os testes obrigatórios para um laboratório poder registrar um genérico após a quebra da patente de um medicamento de referência? Você os conhece? Para elucidar melhor este assunto, abordamos nesta matéria os testes exigidos para o registro de um medicamento genérico: O que são medicamentos genéricos? O medicamento genérico é aquele que contém o mesmo fármaco (princípio ativo), na mesma dose e forma farmacêutica, é administrado pela mesma via e com a mesma indicação terapêutica do medicamen
Na drogaria: dispensação de medicamentos da lista C5: anabolizantes

Na drogaria: dispensação de medicamentos da lista C5: anabolizantes

Informações Técnicas
Dispensação de medicamentos da lista C5: anabolizantes Ai está mais uma classe de medicamentos da portaria 344/98 que gera muitas dúvidas no momento da dispensação, mas de forma bem simples, vamos conhecer o passo-a-passo e suas particularidades. A classe C5 abrange as substâncias classificadas como anabolizantes. Como exemplo de marcas comerciais, podemos citar: Nebido Durateston Deca-durabolin Deposteron   A classificação dos princípios ativos segundo a portaria 344/98 desta lista são: ANDROSTANOLONA BOLASTERONA BOLDENONA CLOROXOMESTERONA CLOSTEBOL DEIDROCLORMETILTESTOSTERONA DROSTANOLONA ESTANOLONA ESTANOZOLOL ETILESTRENOL FLUOXIMESTERONA OU FLUOXIMETILTESTOSTERONA FORMEBOLONA MESTEROLONA METANDIENONA METANDRANONA
Na drogaria: Tipos de Terapêuticas Anticoncepcionais – Parte II

Na drogaria: Tipos de Terapêuticas Anticoncepcionais – Parte II

Informações Técnicas
Progresso dos Métodos Anticoncepcionais: Implantes subcutâneos (+ ou - cinco anos): Levonorgestrel Injetáveis: medroxiprogesterona Pílula do dia seguinte: até 12hrs pós-coito Pílula Ultraligth (15mcg de etinilestradiol e 60mcg de gestodene/sem progesterona) Adesivos transdérmicos de liberação cutânea lenta: Evra Anel vaginal com Etonogestrel e Etinilestradiol   Evolução das Pílulas Anticoncepcionais: Primeira geração: alta dose - pílulas com até 150mcg de estrogênio Segunda geração: baixa dose e baixíssima dose - as píluas atingiram 50mcg de estrógeno Terceira geração: o mínimo e o essencial - as píluas atingiram 20mcg de estrógeno e 75mcg de progesterona Quarta geração: ultrabaixa dose - as pílulas contém 15mcg de estrógeno e 60mcg
Na drogaria: Tipos de Terapêuticas Anticoncepcionais – Parte I

Na drogaria: Tipos de Terapêuticas Anticoncepcionais – Parte I

Informações Técnicas
Os anticoncepcionais hormonais combinados orais (AHCO) ou pílulas anticoncepcionais são comprimidos que tem em sua base a utilização de uma combinação de hormônios, geralmente estrogênio e progesterona sintéticos, que inibe a ovulação. Os anticoncepcionais orais também modificam o muco cervical, tornando-o hostil ao espermatozoide. O hormônio sintético é uma substância processada e manipulada em laboratório e pode gerar mais efeitos colaterais que o hormônio natural ou bioidêntico . O anticoncepcional hormonal combinado oral (AHCO) é considerado um medicamento eficiente na prevenção da gravidez e seu índice de falha é de 0,1%. Para os combinados (Estrógenos + Progestágenos) Terapêutica monofásica: combinação de estrógeno e progesterona em drágea (20 a 21 dias). Sua utiliza
NA DROGARIA: Potência dos glicocorticóides

NA DROGARIA: Potência dos glicocorticóides

Informações Técnicas
Os glicocorticóides são uma classe de hormônios esteróides caracterizada pela habilidade de se ligar com o receptor de cortisol e desencadear efeitos similares. Os glicocorticóides são distintos dos mineralocorticóides e esteróides sexuais pelos seus receptores específicos, células alvos e efeitos. Indicação: Traumas articulares Rinite alérgica Asma Esclerose múltipla Fibrose cística Doença inflamatória intestinal Anemia hemolítica Edema cerebral Choque séptico Controle da êmese Estenose esofágica Coadjuvante no tratamento de câncer - Potência comparada com Cortisona - Duração do efeito e potência Ação curta (12hrs) Cortisona (1x) Hidrocortisona (1x) Ação intermediária (12 a 36hrs) Prednisona (4x) Prednisolona (4x) Me
Na drogaria: aplicação de anticoncepcionais

Na drogaria: aplicação de anticoncepcionais

Informações Técnicas
Com certeza você já deve ter ouvido alguma (ou várias) mulheres dizerem que engravidaram mesmo tomando anticoncepcional. Por detrás disso, podemos ter as seguintes situações: - Esquecimento (por parte da paciente) - Aplicação por técnica incorreta. Correta = aplicação Trilha em Z - Interação medicamentosa - Problemas no lote do fabricante E no caso dos anticoncepcionais injetáveis? Além das situações citadas anteriormente, podemos ter também o erro da Farmácia, do profissional que aplicou. Como assim? Em primeiro lugar, para a aplicação de um medicamento injetável (seja ele qual for), é necessária a apresentação da receita médica, prática esta que muitos estabelecimentos não cumprem. Em segundo lugar, o erro mais frequente é: aplicar na data errada! Já vi muitos
Na drogaria: como calcular/dispensar um psicotrópico em gotas

Na drogaria: como calcular/dispensar um psicotrópico em gotas

Informações Técnicas
Dispensar um medicamento psicotrópico sempre requer muita atenção para todos os detalhes da prescrição: nome do medicamento legível, posologia, data, carimbo e assinatura médica, identificação do paciente, tipo de receituário. Mas, e quando esta dispensação é um psicotrópico em gotas? Você sabe calcular a quantidade de frascos? Para auxiliar meus colegas farmacêuticos, vou dar 3 diferentes exemplos de dispensação: Fluoxetina gotas -------------------------------- 2 frascos Tomar 10 gotas pela manhã Dados: Fluoxetina 20mg/mL: lista C1 – 60 dias de tratamento Fluoxetina a ser considerada: laboratório Medley 1 frasco = 20mL 20gts = 1mL Cálculo: 1ml ------------------ 20gts X mL ----------------10gts X = 0,5mL/dia X 60 (tempo tratamento) = 30mL P
Na drogaria: documentos solicitados na inspeção dos fiscais da Vigilância Sanitária (VISA)

Na drogaria: documentos solicitados na inspeção dos fiscais da Vigilância Sanitária (VISA)

Informações Técnicas
Quais são os documentos solicitados pela fiscalização, na inspeção da ANVISA - AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Na semana passada, publicamos um artigo apontando os documentos que o fiscal do CRF exige no momento da inspeção. Como foi dito, um estabelecimento de saúde, no caso das farmácias, são vários os órgãos a que estamos sujeitos de sofrer inspeções e o mais importante deles, é com certeza o da Vigilância Sanitária (VISA) do município. São os fiscais desse órgão que determinam os mais importantes procedimentos a serem cumpridos e podem lacrar/fechar um estabelecimento. Gostaria de deixar muito claro que TODAS as informações que aqui serão descritas não são idênticas e não devem ser consideradas por todos os estabelecimentos, pois diferente do CRF, a VISA determin
Na drogaria: documentos solicitados na inspeção dos fiscais do CRF

Na drogaria: documentos solicitados na inspeção dos fiscais do CRF

Informações Técnicas
Quais são os documentos solicitados na inspeção dos fiscais do CRF? Seguir todas as exigências regulatórias do setor farmacêutico não é muito simples, mas respeitar as normas é garantia de trabalhar com tranquilidade e sem riscos de sofrer punição. Abrir as portas de uma farmácia pode parecer uma proposta atraente para muitos empreendedores, principalmente agora, em tempos de crise. Enquanto muitos setores seguem as operações com percentuais desanimadores de crescimento, o varejo farmacêutico continua em um ritmo invejável. O que muitos desconhecem é que gerir uma farmácia significa estar fortemente atrelado a inúmeras exigências regulatórias. Além das normas que todo estabelecimento comercial precisa seguir, como Código Civil, Código Penal e Código de Defesa do Consumidor (CDC),
Na drogaria: medicamentos intercambiáveis

Na drogaria: medicamentos intercambiáveis

Informações Técnicas
Medicamentos intercambiáveis, o que é isso? Hoje vamos abordar um assunto de interesse de todos os profissionais farmacêuticos e que geram muitas dúvidas: a intercambialidade entre medicamentos de referência, genérico e similar. Peço desculpas aos que já entendem bem alguns conceitos, mas para expor um artigo bem completo, irei reforçar alguns conceitos antigos, lá do tempo da faculdade! Medicamento de referência: é o medicamento inovador registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no País, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente junto ao órgão federal competente, por ocasião do registro. A eficácia e segurança do medicamento de referência são comprovadas através de apresentação de estudos clínicos (ANVISA). M